Direito de imagem: https://ecopedia.s3.eu-central-1.amazonaws.com/styles/colorbox-groot/sa/media/2/242-master.jpg?itok=mCxmjILl

  Publicado em: 20/01/2021
  Alterado em: 10/10/2021
Vizualizações: 4722
Número de cadastro: 1

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Achillea millefolium L.
FAMÍLIA:
Asteraceae.
NOME POPULAR:
Mil-folhas, aquiléia, atroveran, erva-de-carpinteiro, erva-de-cortaduras, erva-dos-carreteiros, macelão, milefólio, milefólio-em-ramas, mil-em-rama, mil-folhada, nariz-sangrento, novalgina, pronto-alívio, sanguinária.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Herbácea perene, rizomatosa, ereta, aromática, entouceirada, de 30-50 cm de altura, nativa da Europa e amplamente cultivada em hortas domésticas em quase todo o Brasil. Folhas compostas finamente pinadas, de 5-8 cm de comprimento. Flores brancas, em capítulos reunidos em uma panícula terminal. Existem variedades cultivadas com fins ornamentais com capítulos de cores variadas. Multiplica-se por estacas e por divisão da touceira.
FITOQUÍMICA:
Em sua composição química destacam-se a presença de óleo essencial (0,31%) com terpenos (cineol, borneol, pinenos, cânfora, azuleno), derivados terpênicos e sesquiterpênicos, taninos, mucilagens, cumarinas, resinas, saponinas, esteróides, ácidos graxos, alcalóides e princípio amargo. Os flavonóides e seus heterosídeos estão relacionados com a atividade antiespasmódica.
MARCADOR:
Óleo essencial com a predominância de compostos sesquiterpênicos, incluindo os majoritários: borneol, β-cariofileno, β-cubebeno, α-farneseno e camazuleno.
ALEGAÇÕES:
Falta de apetite, dispepsia (perturbações digestivas), febre, inflamação e cólicas.
PARTE UTILIZADA:
Partes aéreas.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral.
USO:
Adulto e Pediátrico acima de 12 anos.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Infusão; 1 a 4g em 250ml de água. Utilizar uma xícara de chá de 3 a 4 vezes ao dia. Tomar 250 mL do infuso, 10 minutos após o preparo, duas a três vezes ao dia.
Extrato fluido; 2 a 4 ml (1:1 em álcool a 25%) 3 vezes ao dia.
Extrato seco (5:1); 600mg 3 vezes ao dia.
Tintura; 2 a 4 ml (1:5 em álcool a 45%) 3 vezes ao dia.
Xarope; prepara-se com 5% do extrato fluido. A dose deve ser de 20 a 50 gramas ao dia.
Suco; o suco da planta fresca é administrado à razão de 50 cc, 1 a 3 vezes ao dia.
Banhos de assento; 100g de droga seca em 20l de água.
Fitocosmético; preparam-se xampus, tônicos capilares e banhos de espuma com o extrato glicólico de 2 a 5%.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Estimulante das funções digestivas (estomacal e intestinal); gases intestinais; cálculo renal: em 1 xícara (chá) coloque 1 colher (sobremesa) de sumidades floridas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá), 2 vezes ao dia.
Menopausa; cólicas menstruais; estimulante das funções digestivas (estomacal e intestinal); gases intestinais; cálculo renal: coloque 2 colheres (sopa) de sumidades floridas em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 60%. Deixe em maceração por 5 dias e coe. Tome 1 colher (café), diluído em um pouco de água, 2 vezes ao dia.
Prostatite; fissuras anais; hemorróidas: coloque 2 colheres (sopa) de sumidades floridas em 1/2 litro de água em fervura. Desligue o fogo e coe. Adicione à água morna e faça banho de assento, durante 15 minutos. No caso da prostatite, procure esvaziar a bexiga na água do banho, e fissuras anais e hemorróidas, faça massagens suaves.
Dores reumáticas; cólicas menstruais; cólicas renais: em uma panela com água fervente, coloque uma peneira de modo que a mesma não toque a água e, sobre a peneira, um pano. Esparrame sobre o pano 3 colheres (sopa) de sumidades floridas e abafe. Espere que o vapor da água quente amorne o pano e as flores. Ainda morno, aplique nas partes doloridas, cubra com outro pano e deixe agir por 15 minutos, 3 vezes ao dia.
CONTRAINDICAÇÕES:
Uso não recomendado durante a gravidez. Não há conhecimento de restrições durante a lactação. Não deve ser utilizado por pessoas portadoras de úlcera gástrica ou duodenal ou com oclusão das vias biliares. Alergia a mil-folhas ou espécies da família Asteraceae.
EFEITOS ADVERSOS:
O uso pode causar cefaleia e inflamação. O uso prolongado pode provocar reações alérgicas. Caso ocorra um desses sintomas, suspender o uso e consultar um especialista.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
O nome latino do gênero deriva do herói grego Aquiles que a utilizou em uma de suas batalhas para curar seu rei, e o epíteto específico millefolium que significa "mil folhas" é alusivo ao grande número de minúsculas folhas (folíolos) que possuí.
REFERÊNCIAS:
ALONSO, JR, Tratado de fitofármacos y nutraceuticos. Ed. Corpus. 2004.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
MILLS, S; BONE, K. The essential guide to herbal safety. Elservier. 2004.
WITCHL, M et al. Herbal drugs and phytopharmaceuticals. A handbook for practice on a scientific basis. 3 ed. Medpharm. CRC Press. Washington. 2004.

Compartilhe!