Direito de imagem: https://floradigital.ufsc.br/open_sp.php?img=13125

  Publicado em: 16/02/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 2944
Número de cadastro: 33

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Matricaria recutita L.
FAMÍLIA:
Asteraceae (Compositae).
NOME POPULAR:
Camomila, camomila-romana, maçanilha, camomila-comum, camomila-dos-alemães, camomila verdadeira, camomila-legítima, camomila-vulgar, matricária.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Planta herbácea, anual, aromática, de até um metro de altura com folhas pinatissectas. Flores reunidas em capítulos compactos, agrupados em corimbos, com as flores centrais amarelas e as marginais de corola ligulada branca. Fruto do tipo aquênio, cilíndrico. É nativa dos campos da Europa e aclimatada em algumas regiões da Ásia e nos países latino americanos, inclusive na região sul do Brasil. É amplamente cultivada em quase todo o mundo inclusive nos estados do sul e sudeste do Brasil. A parte usada para fins terapêuticos é constituída dos capítulos florais secos ao ar e conservados ao abrigo da luz.
FITOQUÍMICA:
Contém 0,3 a 1,5% de óleo essencial. O óleo essencial obtido por destilação possui coloração azul devido a presença do camazuleno. Outros constituintes presentes são α-bisabolol e derivados bisabolóxidos A, B, e C, bisabolonoído A, lactonas sesquiterpênicas (matricina, matricarina e desacetilmatricarina) e outros terpenoides tais como: farneseno, cadineno, cisespiroéter e transespiroéter; flavonoides (1 a 3%) (apigenina, quercetina e seus respectivos glicosídeos, luteolina, patuletina, lisoramnetol, apiína, rutina), cumarinas (umbeliferona, dioxicumarina e herniarina), taninos, ácidos graxos, mucilagem, ácidos fenólicos, resinas e sais minerais.
MARCADOR:
Apigenina.
ALEGAÇÕES:
Cólicas intestinais. Quadros leves de ansiedade, como calmante suave. Contusões e dos processos inflamatórios da boca e gengiva.
PARTE UTILIZADA:
Flores.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral e Tópico.
USO:
Adulto e Infantil.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Infusão (Oral): 3g (1 colher de sopa) em 150 ml (xícara de chá). Utilizar 1 xícara de chá de 3 a 4 vezes ao dia.
Infusão (Tópico): 6 a 9g (2 a 3 colheres de sopa) em 150 ml (xícara de chá). Tópico: Aplicar de 3 a 4 vezes ao dia, em forma de compressas, bochechos e gargarejos.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Dores estomacais; intestinais; gastrite; úlceras; insônias; perturbações da menopausa; menstruação dolorosa; menstruação excessiva: em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (chá) de flores e adicione água fervente. Abafe por 10 mi nutos e coe. Tome 1 xícara (chá), 3 vezes ao dia, podendo adicionar o suco da metade de um limão, por dose.
Dores de ouvido; nevralgias (sobretudo facial); limpeza da crosta na cabeça do recém-nascido: coloque 1 colher (sopa) de flores em 1 xícara (café) de óleo de cozinha. Leve ao fogo, em banho-maria, durante 3 horas. Coe e esprema o resíduo. Use morno para fazer massagens delicadas no local afetado, 2 vezes ao dia. No caso de dor de ouvido, pingar 2 gotas no ouvido dolorido, fazendo um tampão com um chumaço de algodão.
Reumatismo; dores musculares; dores na coluna; dores ciáticas: no óleo preparado na receita acima, adicione 1 pedra de cânfora e espere dissolver. Faça massagens suaves nos locais doloridos, e em seguida, cubra com uma flanela.
Reumatismo; dores musculares; dores na coluna; dores ciáticas: em uma panela com água fervente, coloque uma peneira de modo que a mesma não toque na água e sobre a peneira um pano. Esparrame sobre o pano as flores e abafe. Espere que o vapor da água quente amorne o pano e as flores. Ainda morno, aplique o pano com as flores nas partes doloridas, cubra com outro pano e deixe agir durante toda noite.
Menstruação dolorosa; menstruação excessiva: coloque 4 colheres (sopa) de flores em 1/2 litro de vinho branco. Deixe em repouso por 5 dias, agitando às vezes e coe. Tome 1 cálice por dose, 3 vezes ao dia, uma semana antes da menstruação.
Conservar os cabelos louros, suaves e brilhantes: coloque 1 xícara (café) de flores em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver durante 5 minutos e coe. Espere amornar e aplique nos cabelos, deixando agir por 5 minutos. Em seguida, enxágue com água corrente.

CONTRAINDICAÇÕES:
Informação não encontrada na literatura citada.
EFEITOS ADVERSOS:
Podem ocorrer reações alérgicas ocasionais. Em caso de superdose, pode ocorrer o aparecimento de náuseas, excitação nervosa e insônia.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Não aplicar a infusão na região próxima aos olhos.
REFERÊNCIAS:
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
MATOS, FJA. Farmácias vivas. UFC Edições. 3ª ed. Fortaleza. 1998.
MILLS, S; BONE, K. The essential guide to herbal safety. Elservier. 2004.
PROPLAM - Guia de Orientações para implantação do Serviço de Fitoterapia. Rio de Janeiro. 2004.
WITCHL, M et al. Herbal drugs and phytopharmaceuticals. A handbook for practice on a scientific basis. 3 ed. Medpharm. CRC Press. Washington. 2004.

Compartilhe!