Direito de imagem: https://floradigital.ufsc.br/imagens/48501c14e278f888e30961c287215c290e7.JPG

  Publicado em: 16/02/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 2962
Número de cadastro: 38

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Mikania glomerata Spreng.
FAMÍLIA:
Compositae (Asteraceae)
NOME POPULAR:
Guaco, cipó-almecega-cabeludo, cipó-catinga, cipó-sucuriju, coração-de-jesus, erva-cobre, erva-das serpentes, erva-de-cobra, erva-de-sapo, erva-dutra, guaco-de-cheiro, guaco-liso, guaco-trepador, uaco, guapo.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Trepadeira sub-lenhosa, de grande porte, perene, com folhas obtusas na base, de forma quase deltoide, de cor verde escura e semitorcida, com três nervuras destacadas, carnosa-coriacea, presas duas a duas ao longo de ramos volúveis. Flores reunidas em capítulos congestos, resultado em fruto do tipo aquênio. É nativa do sul do Brasil, contudo, pela popularidade de seu uso medicinal, vem sendo cultivada em vários outros estados, inclusive no Ceará, onde nunca apresenta flores.
FITOQUÍMICA:
Contém cumarinas (1,2-benzopirona), taninos, óleo essencial com destaque para di-terpenos tipo caurano (ácido caurenoico) e sesquiterpenos, glicosídeos (guacosídeo), frie delina, β-sitosterol, estigmasterol, ácido benzoico (precursor do ácido salicílico) princípio amargo (guacina), saponinas, taninos hidrolisáveis e resinas.
MARCADOR:
Cumarinas.
ALEGAÇÕES:
Gripes e resfriados, bronquites alérgica e infecciosa, como expectorante.
PARTE UTILIZADA:
Folhas.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral.
USO:
Adulto e Infantil.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Infusão: 3g (1 colher de sopa) em 150 ml (xícara de chá). Utilizar 1 xícara de chá 3 vezes ao dia.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Estados gripais; febres; catarro bronquial; asma brônquica; anti-séptico das vias respiratórias; reumatismo: em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sopa) de folha fresca picada e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá), 2 vezes ao dia.
Tosses rebeldes: coloque 2 colheres (sopa) de folhas frescas picadas em 1 xícara (café) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Coe e acrescente 2 xícaras (café) de açúcar cristal. Leve novamente ao fogo brando, até o açúcar derreter. Tome 1 colher (sopa), de 2 a 3 vezes ao dia. Para crianças dar somente metade da dose.
Reumatismo; varizes; afecções pulmonares: coloque 5 colheres (sopa) de folhas picadas em 1 garrafa de vinho branco. Deixe em maceração 8 dias, agitando o líquido de vez em quando e coe. Tome 1 cálice (licor), de 2 a 3 vezes ao dia.
Úlceras; feridas; cicatrizante: coloque 1 colher (sopa) de folhas frescas de guaco e 1 colher (sobremesa) de rizoma de confrei, tudo bem picado, em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 3 minutos e coe. Aplique no local afetado, com um chumaço de algodão, 3 vezes ao dia.
CONTRAINDICAÇÕES:
Pode interagir com anti-inflamatórios não-esteroidais.
EFEITOS ADVERSOS:
A utilização pode interferir na coagulação sanguínea. Doses acima da recomendada podem provocar vômitos e diarréia.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
É um vegetal de grande uso na medicina caseira, sendo um remédio da família brasileira, mas não pode ser utilizado por mulheres com menstruação abundante, pois provoca o aumento do fluxo menstrual.
REFERÊNCIAS:
BIESKI, IGC, MARI GEMMA, C. Quintais medicinais. Mais saúde, menos hospitais - Governo do Estado de Mato Grosso. Cuiabá. 2005.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
GILBERT, B; FERREIRA, JL; ALVES, LF. Monografias de plantas medicinais brasileiras e aclimatadas. Curitiba. ABIFITO. 2005.
GUPTA, MP et al. 270 plantas medicinais iberoamericanas. CYTED. Colômbia. 1995.
MARINGÁ. Guia fitoterápico. 2001.
MATOS, FJA. As plantas das Farmácias Vivas. Fortaleza. 1997a.
MATOS, FJA. Farmácias vivas. UFC Edições. 3ª ed. Fortaleza. 1998.
MATOS, FJA; VIANA, GSB; BANDEIRA, MAM. Guia fitoterápico. Fortaleza. 2001.
PROPLAM - Guia de Orientações para implantação do Serviço de Fitoterapia. Rio de Janeiro. 2004.
VIANA, GSB; BANDEIRA, MAM; MATOS, FJA. Guia fitoterápico. Fortaleza. 1998.

Compartilhe!