Direito de imagem: https://hortodidatico.ufsc.br/files/2020/01/ERVA-DOCE.jpg

  Publicado em: 23/02/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 3131
Número de cadastro: 46

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Pimpinella anisum L.
FAMÍLIA:
Umbelliferae.
NOME POPULAR:
Anis, aniz, aniz-verde, erva-doce, pimpinela-branca.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Erva aromática anual, ereta, de até 50 cm de altura. Folhas compostas de várias formas, fendidas. Flores brancas, dispostas em umbelas. Os frutos são aquênios, de sabor adocicado e cheiro forte. É natural da Ásia e cultivada no Brasil, especialmente no sul.
FITOQUÍMICA:
Sua análise fitoquímica encontrou como principal constituinte 2 a 6% de óleo essencial com 90-95% de anetol, substância responsável pelo seu sabor e odor característicos de anis. Contém ainda pequenas quantidades de álcoois, cetonas e hidrocarbonetos terpênicos. Foram identificados entre os extrativos fixos, 30% de óleo fixo, proteínas, carboidratos, glicosídeos, ácidos málico, cafeico e clorogênico, cumarinas, flavonoides e esteróides, além de considerável quantidade de acetilcolina e de seu precursor, a colina.
MARCADOR:
Informação não encontrada na literatura citada.
ALEGAÇÕES:
Dispepsia (distúrbios digestivos), cólicas gastrointestinais e como expectorante.
PARTE UTILIZADA:
Frutos.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral.
USO:
Adulto e Infantil.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Decocção: 1,5g (3 colheres de café) em 150ml água (xícara de chá). Utilizar 1 xícara chá 3 vezes ao dia.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Afecções intestinais (gases e cólicas); desinfetante intestinal; dores de cabeça (origem digestiva); gastrite (origem nervosa); cólicas infantis: em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sobremesa) de fruto-semente e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá), 3 vezes ao dia.
Enjôos e vômitos na gravidez; aumentar o leite materno; enxaquecas (origem digestiva): coloque 3 colheres (sopa) de fruto-semente em 1 garrafa de vinho branco. Deixe em maceração por 10 dias e coe. Tome 1 cálice, antes das principais refeições.
Afecções intestinais (gases e cólicas); desinfetante intestinal; enxaquecas (origem digestiva); gastrite (origem nervosa); purificador do hálito (halitose): coloque 1 colher (sobremesa) de fruto-semente e 1 colher (sopa) de folha de guaçatonga picada, em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 60%. Deixe em maceração por 5 dias e coe. Tome 1 colher (café), diluído em um pouco de água, 3 vezes ao dia, sendo uma de manhã, em jejum, e as demais antes das principais refeições.
CONTRAINDICAÇÕES:
Informação não encontrada na literatura citada.
EFEITOS ADVERSOS:
Informação não encontrada na literatura citada.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
A droga vegetal deve ser amassada imediatamente antes de usar.
REFERÊNCIAS:
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
GARCIA, AA. et al. Fitoterapia. Vademécum de prescripción. Plantas medicinales. 3ª ed. 1999.
WITCHL, M et al. Herbal drugs and phytopharmaceuticals. A handbook for practice on a scientific basis. 3 ed. Medpharm. CRC Press. Washington. 2004.

Compartilhe!