Direito de imagem: https://hortodidatico.ufsc.br/files/2020/02/TANSAGEM2.jpg

  Publicado em: 01/03/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 3023
Número de cadastro: 47

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Plantago major L.
FAMÍLIA:
Plantaginaceae.
NOME POPULAR:
Plantagem, sete-nervos, tançagem, tansagem, tranchagem, tanchagem, tanchagem-maoir, tanchagem-média, tanchás, transagem.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Pequena erva bianual ou perene, ereta, acaule, de 20-30 cm de altura nativa da Europa e naturalizada em todo o sul do Brasil. Folhas dispostas em roseta basal, com pecíolo longo e lâmina membranácea com nervuras bem destacadas, de 15-25 cm de comprimento. Flores muito pequenas, dispostas em inflorescências espigadas eretas sobre haste floral de 20-30 em de comprimento. Estas transformam-se em frutos (sementes) que são facilmente colhidas raspando-se entre os dedos toda a inflorescência. Multiplica-se apenas por sementes.
FITOQUÍMICA:
Contêm iridoides (aucubina, catalpol, asperulosideo), alcaloides (indicaína, plantagonina), taninos, derivados do ácido cafeico, polissacarídeos, mucilagem, terpenoides (ácido oleanólico, ácido ursólico), flavonoides (luteolina, apigenina, hispidulina, baicaleína), lignanas, cumarinas, saponinas, fitosteróis, vitaminas (A e C), sais minerais (cálcio, fósforo, ferro, sódio, potássio, zinco). As sementes apresentam principalmente açúcares (galactose, glicose, xilose, arabinose, rhamnose, planteose), óleos voláteis e fixos, ácidos graxos e glucosinolatos.
MARCADOR:
Informação não encontrada na literatura citada.
ALEGAÇÕES:
Inflamações da boca e faringe.
PARTE UTILIZADA:
Folhas.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Tópico.
USO:
Adulto.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Infusão: 6 a 9g (2 a 3 colheres de sopa) em 150ml (xícara de chá). Aplicar no local afetado, em bochechos e gargarejos 3 vezes ao dia.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Laxante; depurativo: em 1 copo, coloque 1 colher (sopa) de sementes e adicione água fervente. Deixe em maceração por 1 noite e coe. Tome 1 copo de manhã, em jejum.
Afecções da pele (acnes, cravos e espinhas): coloque 2 colheres (sopa) de folhas picadas em 1 copo de água. Leve ao fogo brando, deixe ferver durante 15 minutos e coe em um pano, espremendo bem o resíduo. Adicione ao líquido obtido, 1 colher (sopa) de mel. Misture bem. Aplique com um chumaço de algodão sobre a pele, no local afetado, 2 vezes ao dia.
Queimaduras; feridas; picadas de insetos: lave muito bem as folhas frescas e enxugue. Em um pilão, coloque 3 colheres (sopa) de folhas picadas. Amasse bem, adicione 1 colher (sobremesa) de glicerina e misture. Espalhe sobre um pano, gaze ou um chumaço de algodão e aplique sobre o local afetado, de 1 a 2 vezes ao dia.
Amigdalite; faringite; traqueíte; estomatite; gengivite; desintoxicante das vias aéreas dos fumantes: em 1 xícara (chá), coloque 2 colheres (sopa) de folhas picadas em pedaços bem pequenos e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, espere amornar e coe. Faça gargarejos, de 2 a 3 vezes ao dia.
Prostatites: coloque 5 colheres (sopa) de folhas picadas em 1 litro de água em fervura. Desligue o fogo, espere amornar e coe. Adicione à água morna do banho, e faça banhos de assento com duração de 15 a 20 minutos, 2 vezes ao dia.
CONTRAINDICAÇÕES:
Hipotensão arterial (pressão baixa), obstrução intestinal e gravidez.
EFEITOS ADVERSOS:
Informação não encontrada na literatura citada.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Não engolir a preparação após o bochecho e gargarejo. Nunca utilizar a casca da semente.
REFERÊNCIAS:
BIESKI, IGC, MARI GEMMA, C. Quintais medicinais. Mais saúde, menos hospitais - Governo do Estado de Mato Grosso. Cuiabá. 2005.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
GARCIA, AA. et al. Fitoterapia. Vademécum de prescripción. Plantas medicinales. 3ª ed. 1999.
GUPTA, MP et al. 270 plantas medicinais iberoamericanas. CYTED. Colômbia. 1995.
MATOS, FJA. O formulário fitoterápico do professor Dias da Rocha. 2 ed. UFC Edições. 1997b.

Compartilhe!