Direito de imagem: https://www.feedipedia.org/sites/default/files/images/psidium_guajava_fruitontree_starr.jpg

  Publicado em: 05/03/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 2984
Número de cadastro: 51

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Psidium guajava L.
FAMÍLIA:
Myrtaceae.
NOME POPULAR:
Goiabeira, araçá-das-almas, araçá-goiaba, araçá-guaçú, araçá-guaiaba, araçú-guaçú, araçú-uaçú, goiaba, goiaba-branca, goiaba-comum, goiaba-maçã, goiaba-pera, goiaba-vermelha, goiabeira-branca, guaiaba, guaiava, guaiba, guava.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Arvoreta frutífera de copa aberta, de até 7 m de altura, com folhas opostas, oblongas, subcoriáceas e aromáticas. Flores alvas, solitárias ou em grupos de 2-3 nas axilas das folhas. Fruto do tipo baga, com polpa doce e levemente aromática, medindo até 10 cm de diâmetro, com sementes pequenas e muito duras. É nativa da América do sul, desde a Venezuela até o Rio de Janeiro e cultivada em todos os países de clima tropical. São bem conhecidas suas duas variedades mais comuns, a de frutos com polpa vermelha (P guajava var. pomifera) e a de polpa branca (P. guajava var. pyrifera).
FITOQUÍMICA:
Contém taninos hidrolisáveis (pedunculagina, guavinas A, C e D), flavonoides (quercetina, quecitrina, e derivados glicosídicos [guajaverina]) terpenoides, ácidos fenólicos (ácido gálico) e óleo essencial (bisaboleno, 1.8-cineol, p-cimeno, monoterpenos, acetato de α-terpenilo).
MARCADOR:
Informação não encontrada na literatura citada.
ALEGAÇÕES:
Oral (Adulto): Diarréias não infecciosas.
Tópica (Adulto e Infantil): Pele e mucosas lesadas, como anti-séptico.
PARTE UTILIZADA:
Folhas jovens.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral e Tópico
USO:
Adulto e Infantil.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Infusão: 2g (colher de sobremesa) em 150ml (xícara de chá). Utilizar 1 cálice (30 ml) após a evacuação em no máximo 10 vezes ao dia.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Diarréia infantil (amarela): em 1 xícara (chá), coloque 1 broto, cortado em pedaços bem pequenos e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe, adoce com dextrosol ou mel e acrescente o suco de 1/2 limão. Tome 1 xícara (chá), de 2 a 3 vezes ao dia.
Diarréia de adulto: coloque 3 brotos, 3 folhas do abacateiro e 3 folhas da pitangueira, tudo cortado em pedaços bem pequenos, em 1/2 litro ou 2 copos de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos e coe. Tome de 1/2 a 1 copo, após cada evacuação.
Cicatrizante de feridas: coloque 2 colheres (sopa) de casca do caule e 1 colher (sopa) de folha de confrei picada em 1/2 litro de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos. Desligue o fogo e filtre em um pano. Aplique no local da lesão, com uma gaze. Renove a aplicação a cada 4 horas.

CONTRAINDICAÇÕES:
Não utilizar continuamente.
EFEITOS ADVERSOS:
Informação não encontrada na literatura citada.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Geléia de goiaba: lave muito bem 2 kg de goiaba vermelha bem maduras e corte-as ao meio. Coloque em uma panela com 1 copo de água. Leve ao fogo e deixe ferver. Quando levantar a fervura, reduza para fogo brando e cozinhe os frutos até ficarem macios. Coe em uma peneira bem fina, espremendo o resíduo. Para cada 1/2 litro de suco, acrescente 2 copos bem cheios, de açúcar e 1 colher (chá) de suco de limão. Leve ao fogo brando novamente, e mexa até dissolver bem o açúcar. Aumente a chama e ferva, sem parar de mexer, até alcançar o ponto de geléia. Quando esfriar, acondicione em potes de vidro esterilizados.
REFERÊNCIAS:
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
GILBERT, B; FERREIRA, JL; ALVES, LF. Monografias de plantas medicinais brasileiras e aclimatadas. Curitiba. ABIFITO. 2005.
MATOS, FJA. As plantas das Farmácias Vivas. Fortaleza. 1997a.
MATOS, FJA. Farmácias vivas. UFC Edições. 3ª ed. Fortaleza. 1998.
MATOS, FJA. O formulário fitoterápico do professor Dias da Rocha. 2 ed. UFC Edições. 1997b.
MATOS, FJA. Plantas medicinais. Guia de seleção e emprego de plantas usadas em fitoterapia no Nordeste Brasileiro. 2ª ed. Editora UFC. Fortaleza, 2000.
MATOS, FJA; VIANA, GSB; BANDEIRA, MAM. Guia fitoterápico. Fortaleza. 2001.
MELO-DINIZ et al. Memento de plantas medicinais. As plantas como alternativa terapêutica. Aspectos populares e científicos. Ed. UFPB. 2006.
MELO-DINIZ et al. Memento Fitoterápico. As plantas como alternativa terapêutica. Aspectos populares e científicos. Ed. UFPB. 1998.

Compartilhe!