Direito de imagem: https://umaarvorepelafloresta.quercus.pt/wp-content/uploads/2014/08/sambucus-nigra-sabugueiro1.jpg

  Publicado em: 09/03/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 2729
Número de cadastro: 57

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Sambucus nigra L.
FAMÍLIA:
Adoxaceae (Caprifoliaceae).
NOME POPULAR:
Sabugueiro.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Arbusto ou árvore vivaz que chega a alcançar de 1 a 1,5 m de altura, verrugosa e com medula branca esponjosa. Cada folha apresenta de 5 a 7 folíolos, opostas, ímpares, terminando com um maior e mais comprido que os laterais. São pecioladas, em forma de lança, com a base arredondada, o ápice pontiagudo, de bordas desigualmente dentadas. Apresentam nervuras bem salientes na parte inferior. Quando esmagadas possuem um odor intenso e desagradável. Floresce em buquês, formados por pequenas flores, que partem de diferentes alturas do caule e atingem o mesmo nível na parte superior, de cor branca ou rosada, de sabor mucilaginoso e fracamente amargo e com odor semeIhante ao de amêndoas amargas. O fruto é uma baga de cor escura, matizada de púrpura, com polpa vermelho-escuro, envolvendo de 3 a 5 sementes. O plantio é feito por estacas de galhos ou por se mentes, em solo fértil e clima temperado quente. A entrecasca deve ser coletada antes que a planta retorne ao novo estado vegetativo e as flores são colhidas quando do seu florescimento, na estação fria, de preferência, no dia comemorativo de São João ou na véspera, à noite, desse dia. Também pode ser colhida entre os dias comemorativos de São João e de São Pedro. O fruto é retirado quando do seu amadurecimento.
FITOQUÍMICA:
Sais minerais (nitrato de potássio) mucilagens, flavonoides (rutosídeos); óleo essencial.
MARCADOR:
Antocianidinas.
ALEGAÇÕES:
Gripe e resfriado.
PARTE UTILIZADA:
Flor e Cascas.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral.
USO:
Adulto.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Infusão: 3g (1 colher de sopa) em 150ml (xícara de chá). Utilizar 1 xícara, 2 a 3 vezes ao dia.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Diurético; reumatismo (artrite e gota); nefrite; cálculos renais: coloque 1 colher (chá) de entrecascas picadas em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Desligue o fogo, abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá), de 3 a 4 vezes no dia, sendo a última dose antes das 17:00 h.
Dermatoses (erisipela, erupções cutâneas, pruridos, eczemas e reações alérgicas): coloque 2 colheres (sopa) de flores picadas em 1 litro de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos, coe e espere amornar. Aplique na parte afetada, com uma gaze ou pano, em forma de compressas.
Febres; analgésico para as dores em geral; estimulante da sudorese; sarampo; catapora; varicela: em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sobremesa) de flores picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe e espere amornar. Tome 1 xícara (chá), de 1 a 2 vezes ao dia, ainda morno, ficando em repouso.
Queimaduras que não provocam bolhas (1.° grau) e que provocam bolhas (2.° grau): em um pilão, coloque 1 colher (chá) de entrecascas picadas e adicione 1 xícara (café) de óleo de cozinha. Amasse bem e leve ao fogo, em banho maria, por 3 horas ou deixe em local bem ensolarado. Coe em uma peneira. Aplique nos locais afetados, com um chumaço de algodão ou gaze, de 2 a 3 vezes ao dia.
CONTRAINDICAÇÕES:
Não utilizar folhas por conterem glicosídeos cianogênicos que podem ser tóxicos.
O seu uso, dentro das doses preconizadas, não apresenta contraindicação.
EFEITOS ADVERSOS:
O uso em quantidades maiores que o recomendado pode promover hipocalemia (diminuição da taxa de potássio no organismo).
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Em São Paulo e em toda a região Sul do Brasil ocorre a Sambucus australis, que é uma espécie apresentando as mesmas indicações da Sambucus nigra.
- As flores não devem ser utilizadas frescas;
- O sabugueiro, quando cultivado junto a outras plantas de hortas e jardins, atrai os pulgões, não permitindo que ataquem as outras plantas.
REFERÊNCIAS:
ALONSO, JR, Tratado de fitofármacos y nutraceuticos. Ed. Corpus. 2004.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
NEWALL, C.A.; ANDERSON, L.A.; PHILLIPSON, J.D. Herbal medicines - a guide for health-care professionals. London, Reino Unido: The Pharmaceutical Press. 1996. 296p.

Compartilhe!