Direito de imagem: https://hortodidatico.ufsc.br/files/2019/12/BARDANA3.jpg

  Publicado em: 11/01/2021
  Alterado em: 26/07/2021
Vizualizações: 2967
Número de cadastro: 7

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Arctium lappa L.
FAMÍLIA:
Asteraceae.
NOME POPULAR:
Bardana, baldrana, erva-dos-tinhosos, pegamassa, carrapicho-de-carneiro e carrapicho-grande, gobô, orelha-de-gigante, bardana-maior, pergamasso.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Herbácea bienal que atinge de 50 cm a 2 m de altura, com raízes grossas e caule forte. As folhas são basilares no 1º ano e no 2º ano aparece um caule floral bastante ramificado, de até 1,5 m de altura, mole e alvacento. Flores pequenas, violáceas, em capítulos florais, que formam fruto sem papilho, no formato de uma bola com falsos espinhos que aderem à roupa e ao pêlo dos animais, sendo uma planta invasora. O seu cultivo deve ser feito por sementes em barrancos, para facilitar a retirada da raiz, ou em caixotes retangulares de mais ou menos 50 cm de altura. Nasce naturalmente nos monturos de lixo ao redor das habitações. Não tem preferência quanto ao solo e clima. A raiz deve ser coletada no 1º ano de cultivo e a folha antes da floração. De preferência, devem ser consumidas quando frescas, pois reúnem os seus melhores valores terapêuticos.
FITOQUÍMICA:
Óleo essencial ; inulina; mucilagens; lapatina; taninos; sais minerais; ácido clorogênico; vitaminas do grupo B.
MARCADOR:
Informação não encontrada na literatura citada.
ALEGAÇÕES:
Dispepsia (Distúrbios digestivos). Como diurético e como anti-inflamatório nas dores articulares (artrite). Dermatites (irritação da pele), como anti-séptico e antiinflamatório.
PARTE UTILIZADA:
Raiz.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral e Tópico.
USO:
Adulto.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Decocção: 2,5g (2,5 colher de chá) em 150ml (xícara de chá).
Oral: Utilizar 1 xícara de chá 2 a 3 vezes ao dia.
Tópico: Aplicar compressas na pele lesada 3 vezes ao dia.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Depurativo (furunculose); diurético (eliminador de ácido úrico); colerético (aumenta o fluxo biliar); laxativo: coloque 1 colher (sopa) de raiz fatiada em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Mantenha em maceração por 10 minutos e coe. Coma a raiz cozida e tome 1 xícara (chá) 3 vezes ao dia, fora das principais refeições.
Dermatoses úmidas e purulentas; acne; eczema; pruridos; seborréia da face ou do coro cabeludo: coloque 2 colheres (sopa) de folhas frescas fatiadas em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Coe e acrescente 1 colher (chá) de mel e 3 gotas de própolis. Faça aplicações no local afetado, na forma de compressas, 2 vezes ao dia.
Furunculose: coloque 6 colheres (sopa) de raiz fatiada em 1 garrafa de vinho branco. Deixe em maceração por 8 dias e coe. Tome 1 cálice, antes das principais refeições.
Depurativo; diurético; antidiabético: coloque 2 colheres (sopa) de raiz picada em 1 xícara (chá) de álcool de cereais à 70%. Deixe em maceração por 10 dias e coe. Tome 10 a 15 gotas ou 1 colher (café), diluído em um pouco de água, de 2 a 3 vezes ao dia, antes das principais refeições.
Insuficiências hepáticas (vesícula inflamada, cálculo biliar, hepatite viral e cirrose): coloque 1 colher (sobremesa) de raiz fatiada e 1 colher (sobremesa) de folha de alcachofra fatiada em 1 xícara (chá) de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos, espere amornar e coe. Tome 1 xícara (chá), 3 vezes ao dia, sendo uma de manhã, em jejum, e as demais 30 minutos antes das principais refeições.
CONTRAINDICAÇÕES:
Deverá ser utilizado com cautela na gravidez.
EFEITOS ADVERSOS:
Informação não encontrada na literatura citada.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Informação não encontrada na literatura citada.
REFERÊNCIAS:
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
GARCIA, AA. et al. Fitoterapia. Vademécum de prescripción. Plantas medicinales. 3ª ed. 1999.
GRUENWALD, J et al. PDR for herbal medicines. 2000.
WITCHL, M et al. Herbal drugs and phytopharmaceuticals. A handbook for practice on a scientific basis. 3 ed. Medpharm. CRC Press. Washington. 2004.

Compartilhe!