Direito de imagem: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/15/Ocimum_gratissimum_%2821913853081%29.jpg

  Publicado em: 30/08/2021
  Alterado em: 13/09/2021
Vizualizações: 1810
Número de cadastro: 77

Deseja receber informações sobre plantas medicinais no seu email?


NOME BOTÂNICO:
Ocimum gratissimum L.
FAMÍLIA:
Labiatae (Lamiaceae)
NOME POPULAR:
Alfavacão, alfavaca, alfavaca-cravo.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA:
Subarbusto aromático, ereto, com até m de altura, originário do oriente e subespontâneo em todo o Brasil e do qual existem diversos quimiotipos, inclusive o designado como eugenolifero descrito simplificadamente nesta monografia. Folhas ovalado-lanceoladas, de bordos duplamente dentados, membranáceas, de 4-8 cm de comprimento. Flores pequenas, roxo-pálidas, dispostas em racemos paniculados eretos e geralmente em grupos de três. Fruto do tipo capsula, pequeno, possuindo 4 sementes esféricas. Tem aroma forte e agradável que lembra o cravo-da-índia.
FITOQUÍMICA:
Na composição química da planta, o óleo essencial das folhas (3,60 %) contém eugenol (77,3%). 1,8-cineol (12,1 %), β-cariofileno (2,3 %), (Z)-ocimeno (2.1%) o que justifica seu uso na confecção de licores e como sucedâneo do óleo de cravo-da-índia.
MARCADOR:
Informação não encontrada na literatura citada.
ALEGAÇÕES:
Uso interno: problemas respiratórios, antiespasmódico e carminativo. Uso externo: antimicrobiano.
PARTE UTILIZADA:
Folhas.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO:
Oral e Tópica
USO:
Adulto.
POSOLOGIA E FORMA DE USAR:
Vide formulações caseiras.
FORMULAÇÕES CASEIRAS:
Digestivo (estomacal, hepático, vesícula biliar, intestinal e gases): em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sobremesa) de folhas e flores fatiadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara (chá), antes das principais refeições.
Tosses rebeldes; gripes; resfriados; bronquites: em 1 xícara (chá), coloque 1 colher (sopa) de folhas e flores fatiadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe e adicione 1 colher (sobremesa) de mel. Tome 1 xícara (chá), de manhã e outra à noite.
Fissuras nos mamilos das lactantes: em um pilão, coloque 2 colheres (sopa) de folhas e flores frescas picadas. Amasse bem, até formar uma pasta. Espalhe sobre um pano ou gaze e aplique sobre a parte afetada. Cubra com outro pano. mantendo sempre quente e deixe agir durante o dia ou a noite toda.
CONTRAINDICAÇÕES:
Pacientes hipotensos, gravidez e lactação.
EFEITOS ADVERSOS:
Informação não encontrada na literatura citada.
CURIOSIDADE E INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
Planta pouco estudada, sem relatos de toxicidade.
REFERÊNCIAS:
LORENZI, H.; MATOS, F.J.A Plantas medicinais no Brasil. Nativas e exóticas. ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002.
PANIZZA, Sylvio. Plantas que curam: cheiro de mato. 4. ed. São Paulo: IBRASA, 1997. 279 p

Compartilhe!