Casal tomando chá
Autor: Eduardo Maia
  Publicado em: 03/08/2022
  Alterado em: 05/08/2022
Vizualizações: 75


Saiba como as plantas medicinais podem te ajudar com a saúde mental



Segundo a OMS - Organização Mundial de Saúde, saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade.
Durante nossa vida todos nós podemos sofrer com problemas relacionados a saúde mental, em menor ou maior gravidade. O sofrimento mental é caracterizado por um conjunto de sintomas não psicóticos como insônia, estresse aumentado, irritabilidade constante, preocupações e medos excessivos, a ansiedade, que é considerada o transtorno mais presente no período em que estamos vivendo, entre tantos outros.
Além dos medicamentos sintéticos, existem outras alternativas de cuidado para o alívio desses sintomas, como é o caso da utilização de plantas medicinais, uma prática integrativa e complementar muito presente na cultura brasileira em forma de chás ou em apresentações como medicamentos fitoterápicos, que são preparações obtidas de matéria prima vegetal ativa, com eficácia terapêutica, segurança e padronização validadas.
Dentre as plantas medicinais mais procuradas nas farmácias, podemos destacar facilmente a Passiflora incarnata e a Valeriana officinalis, ambas popularmente conhecidas com uma longa tradição de uso pela população e passadas de geração a geração. A Passiflora incarnata é o nome científico do maracujá, uma planta perene e que possui a vitexina como principal marcador químico e ingrediente ativo. Diferentes atividades terapêuticas são relatadas sobre a Passiflora incarnata, incluindo principalmente sua ação no sistema nervoso central, muito utilizada para auxiliar no tratamento de ansiedade como calmante natural, auxilia no manejo da irritabilidade, insônia e inquietação, por exemplo.
Já a Valeriana officinalis (Valeriana) é de prescrição médica quando apresentada como medicamento devido ao maior número de possíveis efeitos adversos e interações. É uma planta perene e possui o ácido valerênico como marcador químico, utilizado para auxiliar nos distúrbios do sono associado a ansiedade, hiperatividade, sedativo moderado, entre outros.
Apesar dos medicamentos fitoterápicos serem produzidos a partir de plantas medicinais, eles devem ser utilizados com cautela, sendo importante o seu monitoramento para contribuir para o bem-estar e qualidade de vida. Procure sempre orientação com um profissional da saúde devidamente habilitado na área.
REFERÊNCIAS:
ALONSO, JR. Tratado de fitomedicina. Bases clínicas e farmacológicas. ISIS Ed. Argentina. 1998.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n. 10, de 9 de março de 2010. Dispõe sobre a notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Diário Oficial [da] União da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 mar. 2010d. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2021.
SAAD, G. A et al. Fitoterapia Contemporânea: tradição e ciência na prática clínica, 2ª edição. Guanabara Koogan, 2016.

Gostou desse conteúdo? Então compartilhe!

Eduardo Maia
Farmacêutico Especialista em Fitoterapia Clínica pela UFSCar.
Profissional com sólida formação em pesquisa e inovação.
Atua como professor digital na área de fitoterapia.